quinta-feira, 13 de abril de 2017

DO SOFRIMENTO À GLÓRIA

Lá vai o Nazareno carregando a cruz
Corpo ensanguentado de tantos açoites
Cadê seus amigos que não O ajudaram
O abandonaram durante aquela noite.

Jesus foi pisado, seu corpo moído
Chicotes com ossos, sua carne cortou
Seu olhar mui triste, de homem sofrido. . .
E foi na cruz pregado, porque me amou.

O sol envergonhou-se, sua luz turvou
As pedras removeram-se, rasgando-se o véu
Santos que dormiam, saíram dos túmulos

Apareceram à muitos e subiram ao céu
Com seu corpo em glória Jesus ressuscitou
E abriu caminho para o pecador.

                  Tk - Ac, 13/04/2017 - Prof. Freitas

quarta-feira, 1 de março de 2017

EU E VOCÊ (fragmentos)

Somos peças
Desse tempo
Que não pára
Que não muda
Como incêndio
De coivara
A queimar tudo.

Somos mensageiros
Do amor
Companheiros da saudade
Tristes, aventureiros
Da dor,
Do destino, da fatalidade!

Eu e você
Somos assim
Flores sem perfume
Pássaros a voar sem fim
No vazio, na escuridão,
Nas lembranças
Perdidos na solidão.

                   (Freitas)

sábado, 26 de novembro de 2016

A VIDA É UMA BOLA

A vida é como jogar
Uma bola na parede.
Se for jogada uma bola verde,
Ela voltará verde.
Se for jogada uma bola azul,
Ela voltará azul.
Se for jogada uma bola fraca,
Ela voltará fraca.
Se for jogada uma bola com força,
Ela voltará com força.
Por isso, nunca jogue uma bola na vida,
De forma que não esteja pronto
Para recebê-la.
A vida não dá nem empresta;
Não se comove nem se apieda.
Tudo que ela faz é retribuir
E transferir aquilo que nós lhe oferecemos.

                                (Albert Einstein)

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

SEMENTES DE ILUSÃO

                        (Freitas)

Naquele  dia ao entardecer
Veio o vento tangendo
Blocos de nuvens cinza
Carregando folhas secas
Partindo vagens ressecadas
Espalhando sementes maduras
Sem rumo e sem destino. . .
Assim foi o nosso amor
Que parecia plantado em
Terra fértil e humedecida
Mas tudo transformou-se
Em sonhos e irrealidades
Restos de dúvidas, de ilusões. . .
E já passaram verões
Invernos, outonos e primaveras
E de você ficou apenas recordações
Restos de vidas. . . sementes de ilusões ! . . .

                                   

terça-feira, 16 de agosto de 2016

AMOR EM LÁGRIMAS

Ouve o amor que soluça na solidão
Ouve, amor, o amor que soluça
Na mais triste solidão
E ouve amor os ventos
Que voltam dos espaços
Que ninguém sabe
Sobre as ondas se debruçam
E soluçam de paixão

E ouve, amor, no fundo da noite
Como as árvores ao vento
Num lamento se debruçam
Para o chão

Deixa, amor, que o corpo sedento
Como as árvores e o vento
No teu corpo se debruce
E soluce de paixão

                     (Vinícius)

sábado, 16 de julho de 2016

É TEMPO

É tempo de alçar vôo
Às montanhas dos sonhos
E da esperança.

É urgente buscar novos
Horizontes e repousar
O coração feliz como criança.

É tempo de dizer te amo,
Antes que as flores murchem
E que envelheça o ano.

É tempo porque a vida passa. . .
É o momento de dizer: me beija;
Sufoca-me em teu peito, em teus braços,

É    t e m p o. . .


                           (Prof. Freitas)

quinta-feira, 30 de junho de 2016

VAMOS VIVENDO

Uma das grandes características
da vida é a inconstância.
Dias bons misturados com não
tão bons.
Saúde ao lado da doença.
Alegria ao lado da tristeza.
Vida ao lado da morte.
Doce ao lado do azedo.
Gangorra de sentimentos.
Mesclas de emoções.
E assim vamos vivendo
Sem saber o que nos aguarda,
Mas com uma esperança
que nunca nos abandona.

                      Clarisse Corrêa